terça-feira, 28 de abril de 2009

Mosteiro Flor da Rosa (Crato)


Fundado no século XIV pelo prior D. Álvaro Gonçalves Pereira (cujo túmulo jaz no interior da igreja), o complexo é composto por três edificações distintas, que se interpenetraram ao longo do tempo: paço acastelado gótico, ampliado na centúria de quinhentos, que lhe conferiu o prospecto actual renascentista e mudéjar; igreja-fortaleza gótica e manuelina, de nave única de grande altura e largo transepto e cabeceira pouco profunda; e dependências conventuais renascentistas e mudéjares.
A Pousada Flor da Rosa, hoje hotel de luxo, soube potenciar ao máximo as características mais genuínas do monumento e pode considerar-se como uma intervenção arquitectónica brilhante que, para além de ser moderna, soube respeitar integralmente as suas orígens. O arquitecto Carrilho da Graça foi o responsável pelo projecto.
Em 1340, verificou-se a mudança da sede da Ordem do Hospital, de Leça do Balio, ou de Belver, para o Crato. Data do ano seguinte um documento que prova a intenção de D. Álvaro Gonçalves Pereira, prior da ordem, fundar uma capela no termo do Crato.
A partir do século XVI a Ordem do Hospital passou a denominar-se Ordem de Malta, nome que ainda hoje conserva.

11 comentários:

Vagamundos disse...

Boa sugestão. Vamos apontar.

Helena de Tróia disse...

ah! este conheço e já pernoitei!! :-)

Juliana disse...

Obrigada pela sua visita!
Ja adicionei seu blog nos meus preferidos e agora posso acompanhar as atualizaçoes.
Um dos motivos que adoro a Europa é por causa de suas construçoes, cada uma com um particular estilo arquitetonico.
Desculpe minha ignorancia, nao sei nada de Geografia de Portugal... onde é Crato?

forteifeio disse...

Dylan

Estive nesta zona no Sábado e Domingo e fui lá almoçar. Não me digas que andavas por aquela zona.

Laurus nobilis disse...

Toda a zona é bastante interessante e a pousada é bastante boa. É, sem dúvida, um dos "Alentejos" a não perder!

Pronúncia disse...

A pena que eu tenho de o Alentejo ser um bocadito longe daqui. De certeza que ia lá muitas mais vezes.

Juliana disse...

Obrigada pela explicaçao.
Bom dia!

Foto disse...

O Flor da Rosa é, de facto, muito interessante, como quase tudo no Alentejo.

Parabéns pelo blog, Dylan. Gosto, especialmente, de muitas das fotografias e da maneira breve como as sugestões são colocadas e despertam a curiosidade.

Tenho algo semelhante no www.fotoviajar.com

Peço desculpa de estar a escrever aqui o endereço, mas não o consigo inserir mais abaixo, na escolha de identidade.

Boas viagens,

Luís

Cirrus disse...

Conheço o Crato e Flor de Rosa desde pequeno, tínhamos amigos no Alentejo, em Galveias, a meio caminho entre Ponte de Sôr e Avis. Visitei várias vezes esta aldeia, bem como Alter do Chão, Monforte, Cabeço de Vide, Barbacena, Seda (belíssima região).

Pernoitei lá umas três ou quatro vezes, nos meus tempos de analista químico. É caro, mas bom. O hotel está muitíssimo bem integrado no edifício, quase nem se dá por ele por fora. Por dentro, é do mais confortável que há e tem um restaurante cinco estrelas, onde se pode comer excelentes pratos tradicionais com um toque avant-garde.

É muito bom, e tem a história do seu lado. diz-se que terá sido aqui que nasceu D.Nuno. O seu pai está sepultado. Não há certezas, Cernache do Bonjardim também reivindica. Mais uma terrinha que merece uma visita. Uma bela região, onde se pode comer uns bons maranhos!

Eumesma disse...

Nunca lá fiquei a dormir mas já andei por lá a espreitar um dia ;-), sem dúvida muito bonito.

J. G. disse...

Sou natural do Crato e esta foto traz-me lembranças da minha infância e juventude. Subi muitas vezes a escada de caracol que conduz à torre que, na altura, não tinha sinos. É evidente que agora o mosteiro está muito mais bonito, tanto o edifício como o enquadramento. Sou suspeita mas é uma das regiões mais bonitas do Alentejo, com as suas características de transição para as paisagens da Beira.