quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

Festival de Concertinas e Cantares ao Desafio (Trofa) 25 Set.



O canto de poesia improvisada acompanhada de instrumentos musicais usando a mímica, a sátira e o humor, é uma prática artística conhecida desde a Provença medieval. Em Portugal, os cantares ao desafio possuem uma popularidade especial no Entre-Douro-e-Minho, acompanhada de exímios executantes de concertina. Desgarrada, tal como reza o dicionário, é aquela canção popular que se caracteriza por ser entoada alternadamente por duas ou mais pessoas, ao desafio, sendo a letra geralmente improvisada.

No próximo dia 25 de Setembro, a partir das 14h00, o Monte de Santa Eufémia vai receber centenas de tocadores de concertina e cantores, de todo o país, que vão recordar a música tradicional portuguesa. A Câmara Municipal da Trofa conta com mais de 150 inscrições de acordeonistas e cantadores e, através da Casa da Cultura, "pretende difundir e desenvolver o património local, apostando na sua divulgação e promoção, incentivando ao mesmo tempo a prática turística".



Destaque também para A Estação Arqueológica de Alvarelhos, vulgarmente denominada de “Castro de Alvarelhos”. É um povoado fortificado, datado da Idade do Ferro, localizado na zona intermédia da Serra de Santa Eufémia, a cerca de 218 metros acima do nível do mar. São várias as épocas encontradas neste Castro: da pré-história recente à proto-história, período romano e idade média, o que atesta a sua importância.
Pensa-se que este Castro possa ter sido uma importante zona de trocas comercias, uma zona de mercado ou de pagamento a soldados, pelo facto de aqui terem sido encontradas durante as escavações efectuadas, grande número de moedas de prata, datadas do séc. I e II. A grande fase de ocupação é datada do período romano. Nesta altura, o Castro veio a adquirir grande importância quando, depois de conquistada a Península Ibérica, a administração romana decidiu construir aquele que se manteve, até hoje, como um dos eixos estruturantes do território da Trofa: a estrada que liga o Porto a Braga (Cale a Bracara Augusta).


Texto e imagem de Ave Museus Virtuais

 

2 comentários:

Isa GT disse...

Parece que... o que é bom, está só no Norte ;)

Bjos

Margaret disse...

Me encantó la música. Me hace recordar de mucho de la música tradicional de Chile.