domingo, 4 de outubro de 2009

4º Festival Islâmico Al Mossassa (Marvão)







De 2 a 5 de Outubro

O Festival Islâmico “Al Mossassa” pretende recordar a época da fundação de Marvão e a autarquia celebra esse fato histórico em paralelo com a cidade espanhola de Badajoz, com quem partilha o mesmo progenitor, “Ibn-Marúan”.
Não é, certamente, o único evento de atmosfera medieval a ter lugar no calendário festivo do nosso país, mas é, absolutamente, um dos mais coloridos, animados e deslumbrantes, constituindo uma oportunidade preciosa de experienciar a História e a cultura em todo o seu esplendor. Entre numa verdadeira máquina do tempo que nos transporta para o séc. IX e nos revela um mundo de encantar.

Ao longo do festival estão a decorrer diversas iniciativas de época, colóquios e workshops, animação de rua, dança oriental, teatro e actuações musicais, além do mercado das três culturas, onde podem ser encontrados diversos artigos islâmicos. Neste espaço, com perto de 100 pontos de venda, vive-se um ambiente de mercado, tendo os visitantes a oportunidade de poder encontrar um vasto leque de produtos e objetos relacionados com o Islão e a sua cultura. Com trabalhos em osso, incensos, túnicas, véus, cintos para dança do ventre, sabonetes e perfumes, louças e tapetes orientais, artesanato egípcio, de Marrocos, do Himalaia e da Tunísia, o “Mercado das 3 Culturas” constitui um dos principais marcos do festival.

Durante o “Al Mossassa”, os visitantes podem ainda observar artesãos trabalhando ao vivo, como o ferreiro e o escultor de areia. A escrita árabe, a leitura da sina nas mãos, as massagens orientais, o stand de chás e ervas medicinais, os fósseis, as antiguidades e as réplicas de armas são outros pontos de interesse. No “Al Mossassa”, os visitantes podem ainda visitar uma tenda gigante para tomar o verdadeiro chá árabe e saborear várias iguarias, como os kebabs, crepes, pão,tâmaras, fogaças e porco assado no espeto.

A animação junto ao Castelo de Marvão também não foi esquecida pela organização, que contratou malabaristas, encantadores de serpentes, bailarinas de danças orientais, manipuladores de fogo e andarilhos.

18 comentários:

jad disse...

Excelentíssimo trabalho!
Sustento que os povos são como árvores: crescem tanto melhor, quanto melhores forem as raízes e se alimentarem. Ora, as raízes são a tradição, a herança que se foi recebendo de todas as tradições que nos foram fazendo; o alimento é o aprender quotidiano, o presente, que alimenta o passado e o futuro, que são os ramos e, sobretudo, os frutos que hão-de resultar do empenho com que nos dedicamos ao que nos faz o que somos. Bravo.

forteifeio disse...

muito interessante, se fosse mais perto gostava de ir lá. Quem deve gostar deste post é o nosso amigo Cirrus

Teresa disse...

Excelente sugestão, Dylan.
Se calhar, vou lá amanhã, e depois digo-lhe se valeu a pena.
No ano passado, estive em Marvão no festival da Castanha e gostei bastante.

M.Eugenia disse...

Que maravilla este festival,hubiera disfrutado un motón, pratico la danza oriental.
Saludos

Cirrus disse...

Dylan, não sabia da existência desta celebração, que me parece interessante. Conheço o Marvão, o único local de Portugal onde se podem ver águias a voar de costas.
A origem do nome da vila é Marwan, uma das dinastias mouras que governaram a península antes da Reconquista. E é uma belíssima vila, diga-se!

滿天星花語 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Lúcia disse...

Mt bom! Melhora a cada ano que passa.
Já agora, parabéns pela qualidade do blog.

Teresa disse...

Pronto, Dylan, lá fui hoje até Marvão (ou Marwan, vai-se sempe aprendendo) e, tenho de dizer, gostei mais do festival da castanha, achei mais animado e genuíno. Comparando com o festival islâmico de Mértola, por exemplo, fica a perder um bocadinho. No entanto, é um espaço lindíssimo e foi um passeio agradável.
A propósito, à saída de Marvão, fui visitar as ruínas romanas de Ammaia. Aí está um bom exemplo de inoperância governamental. Conhece? Vale a pena conversar um pouco com o rapaz da recepção.
Abraço.

Moyle disse...

ainda pensei em ir, mas é tão longe... tenho que arranjar um carro a diesel.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Valentim Coelho disse...

Devem ser um encanto estes festivais islamicos. Terei de assistir um dia.
Cumprimentos.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Leonor Martins disse...

Ora aqui está algo que tenho mesmo pena de ter perdido!!!

Adoro Marvão, profissionalmente tive que me deslocar até lá algumas vezes para o desenvolvimento de um trabalho para o Triangulo Turistico...foi assim que conheci o restaurante a Casa do Povo e os tradicionais doces de castanha.

Para o ano vou estar atenta...bem como ao Festival da Castanha aqui referido nos comentários :)

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Teresa disse...

Dylan
Reportagem completa sobre a visita à cidade romana de Ammaia em distracoeseimagens.blogspot.com
Abraço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
MIGUEL NONAY disse...

Hola Dylan.
Excelente post.
A SALTO DE MATA,es ahora
www.asaltodemata.com
Sigue mi aventura en Costa Rica.
Saludos.
Miguel NA
----------
www.asaltodemata.com