segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Entrudo de Podence (Macedo de Cavaleiros) 14 a 16 Fevereiro



A aldeia de Podence, no Nordeste Transmontano, a 7 km de Macedo de Cavaleiros, é especialmente conhecida por uma tradição muito própria, relacionada com o Entrudo. Os chamados Caretos de Podence, rapazes envergando fatos de cores garridas e máscaras de madeira, couro ou lata, pintadas de cores vivas, onde sobressai o nariz pontiagudo.  As suas vestes são confeccionadas a partir de colchas franjadas de lã ou de linho, verde, azul, preta, vermelha e amarela. Os "caretos" saem à rua no Domingo e na Terça-feira, ao som dos bombos e da gaita-de-foles. Com um ar rebelde e atrevido, proporcionam muita animação, mas também chocalham as raparigas solteiras que apanham na rua, correm atrás das mulheres – principalmente das novas e solteiras – para «chocalhá-las», isto é, para abraçá-las lateralmente e com movimentos rápidos de semi-rotação da cintura fazer com que os chocalhos que transportam à cinta lhes batam repetidamente nas nádegas. Fazem parte de uma tradição secular transmontana, que se julga estar associada a práticas mágicas, relacionadas com os cultos agrários da fertilidade. Os mascarados assinalam a chegada dos dias maiores, do calor, bem como os exageros que antecedem a Quaresma, um período de calma, reflexão e contenção do calendário religioso.

Como os trajes dos caretos são reservados, apenas, ao sexo masculino, as raparigas vestem-se de marafonas para saírem à rua disfarçadas no dia de Carnaval. Neste ritual pagão, as praxes do Carnaval de Podence obrigam a que as crianças do sexo masculino (até aos 11, 12 anos) se mascarem como réplicas dos «caretos» adultos, embora menos elaboradas e se comportem à sua semelhança. Conhecidos por «facanicos», acompanham, nas suas andanças e brincadeiras, o grupo dos rapazes solteiros. Certamente, a forma encontrada para que a figura dos «caretos» não se perca, antes se reforce no objectivo de preservar e garantir a continuidade desta tradição carnavalesca.

Ainda não há muitos anos, as pessoas punham trancas às portas e janelas, assustadas com o que lhes podia acontecer.











.

9 comentários:

rose disse...

Deste Carnaval eu gosto.Muito.

Isa GT disse...

Um carnaval português que convém salvaguardar.
Ainda gostava de entender o porquê das ridículas importações, de "carnavais de verão" quando, por cá, temos temperaturas de Inverno.

Pronúncia disse...

Este sim, é nosso, não é importado e vale realmente a pena! :)

Teresa disse...

Gosto muito dos caretos. São uma tradição nossa, alegre e colorida, mas adaptada ao nosso clima e não a climas onde estão agora 40ºC.

João Morgado disse...

Embora ainda não tenha lá ido, considero que este é o tipo de carnaval bem português e não aquelas imitações de carnavais onde o calor impera. Não temos temperaturas adequadas para aquele despir de figurantes. Como se costuma dizer "Cada macaco no seu galho". Há que perservar o que de bom ainda temos.

aa disse...

Ontem ainda fui até lá... mas, a chuva não me 'deixou' fazer umas fotos...
No entanto, ainda deu para ver uns caretos e um "facanico"... E como a tradição já não é o que era, também vi uma senhora vestida com o fato de careto... que se encontrava numa das várias barraquinhas que por lá havia... sei que era uma senhora, porque tinha a cara destapada, apenas vestia o fato de 'careto'...
De qualquer forma é uma tradição interessante e de manter... pois é portuguesa e acima de tudo é transmontana:)

anamoris disse...

Adoro os Caretos, nunca fui ver ao vivo, mas está na minha lista de Carnavais vindouros.
Acho lindo, tão coloridos, tão originais, tão interactivos.
Bom fim de semana

Paula Vidigal disse...

Também lá estive este ano, aiás acabei de publicar no meu blogue um artigo sobre Podence.
Simplesmente genuíno!

viajantedecasascostas

MARIINHA disse...

Olá,
Já vi várias vezes os caretos na TV. Vestem-se de cores muito garridas. A sua origem perde-se no tempo. São coisas nossas, que é muito importante manter.
Bom Domingo